Sem saber, população brasileira é a que mais consome agrotóxicos no mundo

No caminho oposto à Dinamarca (primeiro país do mundo que terá agricultura 100% orgânica por lei), no Brasil, a grande maioria da população ingere grandes quantidades de agrotóxicos. Sem saber.

Ativistas da Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida, participam de ato no Dia Internacional de Luta contra os Agrotóxicos, em frente Câmara de Vereadores (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Fotos: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Do Conexão Lusófona

Uma reportagem do Jornal Folha de São Paulo revelou que é quase certo que a fruta, o legume e a verdura que chegam atualmente à mesa dos brasileiros não tenham passado por nenhum controle rígido dos níveis de agrotóxicos. Segundo a publicação, a fiscalização, quando é feita, atinge somente uma fração pequena dos produtos e reprova até um terço deles.

O Brasil é uma potência na produção de alimentos ocupando a segunda posição entre os maiores produtores do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, mas é o primeiro no que diz respeito ao consumo de agrotóxicos. Desde 2008, o país é o maior consumidor mundial destes produtos. Aliado ao crescimento do plantio de culturas transgênicas no país, o mercado de agrotóxicos cresceu mais de 400% nos últimos dez anos. Na safra de 2013/2014, foram utilizados cerca de 1 bilhão de litros de agrotóxicos, o que gera uma média de 5 litros de veneno por habitante, de acordo com especialistas.

agrotoxicos

Entre as substâncias usadas no país estão algumas potencialmente cancerígenas, parte delas banidas da União Europeia e de países como China e Índia.

Um estudo publicado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e pelo Instituto Nacional do Câncer (Ministério da Saúde) revelou uma situação assustadora sobre o uso de agrotóxicos no país. Clique aqui para ler o estudo completo.

Segundo o documento, os impactos na saúde pública são amplos, atingem vastos territórios e envolvem diferentes grupos populacionais, como trabalhadores em diversos ramos de atividades, moradores do entorno de fábricas e fazendas, além de todos nós, que consumimos alimentos contaminados.

Tais impactos estão associados ao atual modelo de desenvolvimento do país, voltado prioritariamente para a produção de bens primários para exportação. Mas esta estratégia não surte efeito, já que atualmente, a taxa de aumento de uso de agrotóxicos no país é maior que o crescimento de produtividade, um indicador de que o Brasil está a utilizar mais produtos químicos para produzir a mesma quantidade de alimentos.

agrotoxicos-pulveriza

Para saber mais, veja o vídeo abaixo.

Compartilhe este artigo com seus amigos.
Share on FacebookEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
,