Grécia diz “Não” e a Europa canta: “o povo é quem mais ordena”

Grecia-Nao

A vitória do “Não” no referendo grego, com 61% de aprovação popular, coloca o país heleno como vanguarda da luta contra a ditadura da “troika” [Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI)], que vem receitando arrocho fiscal a todos os países europeus em dificuldades.

Portugal, Espanha, Irlanda, Finlândia e vários outros são “orientados” (na verdade pressionados e chantageados) a aderirem incondicionalmente às políticas de “austeridade”, ou seja, a sacrificarem seus povos para suprir o caixa dos “credores”. O “Não” grego impulsionará a solidariedade entre os povos oprimidos pelos rentistas e, consequentemente, a resistência democrática e popular.

A política neoliberal, defendida sobretudo pela Alemanha – país dominante na chamada Comunidade Europeia -, tem recebido combate crescente. Em 2013, na Espanha, manifestantes cantaram a velha e heroica canção portuguesa “Grândola Vila Morena”, onde um dos versos saúda a máxima lei da democracia: “o povo é quem mais ordena”. Uma atitude que estará cada vez mais em pauta.

Veja neste vídeo reportagem sobre o “hino” português à liberdade.

Acompanhe a apuração dos votos na Grécia, em tempo real, clicando aqui.

Compartilhe este artigo com seus amigos.
Share on FacebookEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page