EUA: Sandra Bland morreu por ser negra, mulher e reagir com altivez ao abuso

Sandra Bland foi abusivamente presa e morreu por ser negra, mulher e, em especial, altiva. Abordada, respondeu à altura ao abuso policial. Com mais esta morte, Estados Unidos mostra, através do aparato policial, todo o racismo de sua sociedade.

Com informações do Opera Mundi

“Por que eu estou sendo presa? Por que você não me explica o que está acontecendo?”, questiona Sandra Bland, negra, de 28 anos, a Brian Encinia, um policial branco que a algemou de forma abusiva, após uma infração leve de trânsito. A cena foi registrada em um vídeo (assista no fim do post) divulgado nesta quarta-feira (22/07) pelo Departamento de Segurança Pública do Texas.

O episódio ocorreu em 10 de julho. Três dias após a detenção, Bland foi encontrada morta em sua cela — o que foi classificado pelas autoridades norte-americanas como “suicídio”.

Nas imagens, é possível ver o agente ordenando que a jovem saia do carro, enquanto ela protesta por ser detida apenas por não sinalizar uma mudança de faixa da pista. Irritado, Encinia saca um taser (pistola elétrica), diz que ela será presa por resistência e a ameaça: “vou te fritar!”.

SandraBland

Retirada à força do veículo e já algemada, ela é jogada na calçada e sai do foco de visão da câmera que filma o incidente. Nesse momento, é possível ouvir gritos: “você é realmente um machão agora, você me joga no chão, bate minha cabeça. Você é realmente muito forte”, ironiza Bland.

O policial argumenta que a mulher resistiu à prisão e o chutou, mas o vídeo não revela qualquer confronto físico. Para o diretor do Departamento de Segurança do Texas, Steve McCraw, encarregado da investigação, Encinia não foi “cortês” com Bland e não demonstrou “profissionalismo”, reportou a Agência Efe.

“Depois de vermos este vídeo, penso que todos concordam comigo que Sandra Bland não merecia ser detida”, declarou a jornalistas o senador estadual do Texas Royce West, após se reunir com a família da jovem.

“Ela perdeu sua vida na prisão, e isto é o que precisamos olhar”, completou o vice-governador Dan Patrick, que qualificou o caso de “tragédia”, segundo a Agence France Presse.

Apesar de se tratar oficialmente de um suicídio, o procurador do condado de Waller, Elton Mathis, reconheceu que a morte de Bland está sendo investigada como um homicídio.

Em outro vídeo divulgado ontem pelas autoridades, imagens do interior da prisão mostram que ninguém entrou na cela da jovem desde a última vez que foi vista com vida.

Sandra Bland já sofrera depressão no passado, mas sua família não acredita que tenha cometido suicídio na prisão, e pediu a realização de uma autopsia independente.

Originária do subúrbio de Chicago, a jovem havia acabado de se mudar para o Texas, onde tinha conseguido um novo emprego na Universidade de Agricultura e Mecânica da cidade de Prairie View, onde ocorreu a detenção.

Compartilhe este artigo com seus amigos.
Share on FacebookEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page